‘Jogos de azar não são bem-vindos no Brasil’, diz Bolsonaro sobre legalização

HomeNOTÍCIAS

‘Jogos de azar não são bem-vindos no Brasil’, diz Bolsonaro sobre legalização

O presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou que não deve sancionar projeto que libera os jogos de azar no Brasil, caso ele seja aprovado no Congresso.

Bolsonaro desaprova Mourão por fala sobre Ucrânia, mas não diz o que pensa sobre invasão russa
Brasil fica fora da lista de países considerados inimigos da Rússia
Bolsonaro diz que super bandeira de energia chegará ao fim
PUBLICIDADE

O presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou que não deve sancionar projeto que libera os jogos de azar no Brasil, caso ele seja aprovado no Congresso.

PUBLICIDADE

‘Jogos de azar não são bem-vindos no Brasil’, diz Bolsonaro sobre legalização. Em entrevista a rádio Viva FM, do Espírito Santo, o mandatário rechaçou a possibilidade, mas lembrou que um veto presidencial pode ser derrubado pelos parlamentares.

Leia também:

“Os jogos de azar não são bem-vindos no Brasil.

PUBLICIDADE

Alguns falam que no começo seriam os grandes cassinos, não estaria aberto às pessoas mais humildes, mas é uma porteira que se abre e não sabemos o que pode passar por ela”, afirmou. Segundo Bolsonaro, os deputados dizem que aprovarão o projeto e que já há uma maioria suficiente para derrubar o veto.

Os jogos de azar são proibidos no Brasil desde 1946, quando o então presidente Eurico Gaspar Dutra alegou que eles eram contrários à moral e aos bons costumes e ‘não combinavam com a tradição moral, jurídica e religiosa do Brasil’.

Desde então, a legalização foi proposta várias vezes mas nunca avançou no Congresso. Agora, a proposta atual parece contar com vontade política para apoiar um projeto amplo, que torna legal até o jogo do bicho.

O tema divide a base de Bolsonaro: enquanto o Centrão e o próprio filho do presidente, o senador Flávio Bolsonaro (PL), defendem a legalização, argumentando que incentivaria o turismo e ajudaria a alavancar a economia, a bancada evangélica é contrária, alegando que o vício nos jogos prejudica as famílias e os valores religiosos.

PUBLICIDADE

COMENTÁRIOS

DISCUS: 0