Quem tem direito à cota extra do Auxílio emergencial paga em novembro?

HomeNOTÍCIAS

Quem tem direito à cota extra do Auxílio emergencial paga em novembro?

De acordo com informações, Ministério da Cidadania confirma que alguns beneficiários receberão o depósito do benefício até o próximo dia 30. Quem tem

Concluído votação de projeto que cria vale-gás
Saiba se você vai receber o auxilio Brasil
Quem pode pedir revisão da aposentadoria em 2022
PUBLICIDADE

De acordo com informações, Ministério da Cidadania confirma que alguns beneficiários receberão o depósito do benefício até o próximo dia 30.

Quem tem direito à cota extra do Auxílio emergencial paga em novembro? O calendário de pagamento do auxílio emergencial chegou ao fim em outubro, mas alguns beneficiários terão direito a um novo depósito em novembro. A informação foi confirmada pelo Ministério da Cidadania, que anunciou que nem todos receberão os valores.

De fato, o programa foi encerrado no mês passado. Quem terá acesso a essa quantia será apenas uma pequena parte dos cerca de 35 milhões de brasileiros atendidos pelo auxílio desde sua criação em 2020.

Leia também:

Somente os beneficiários que tiveram os pagamentos bloqueados entre as parcelas 6 e 7 receberão as cotas. Esse grupo é formado por pessoas que contestaram o bloqueio e conseguiram garantir o dinheiro que não foi depositado.

PUBLICIDADE

De acordo com a pasta da Economia, a expectativa é de que os depósitos sejam feitos até o dia 30 de novembro. Entretanto, é necessário acessar o site do auxílio emergencial para confirmar a data.

Consulta online

Os beneficiários que contestaram o bloqueio do auxílio emergencial podem consultar sua situação da seguinte maneira

  • Acesse o site consultaauxilio.cidadania.gov.br;
  • Preencha os dados solicitados (CPF, nome completo, nome da mãe e data de nascimento);
  • Clique em “Sou humano”;
  • Aperte em “Enviar”.

Pronto, todas as informações referentes ao seu auxílio serão exibidas na tela. Para quem tem direito à nova rodada, é só verificar a data de pagamento.

PUBLICIDADE

COMENTÁRIOS

DISCUS: 1