Proibido de usar celular, menino de 13 anos mata mãe e irmão

HomeNOTÍCIAS

Proibido de usar celular, menino de 13 anos mata mãe e irmão

Em Patos, no sertão da Paraíba, um garoto de 13 anos confessou ter matado a mãe e o irmão a tiros. O caso aconteceu neste sábado (19) de março. D

Personal que bateu em morador de rua: ‘Casamento continua’
Padre atropela homem suspeito de furtar igreja no interior de SP
Miss de 17 anos morre após sofrer infarto
PUBLICIDADE

Em Patos, no sertão da Paraíba, um garoto de 13 anos confessou ter matado a mãe e o irmão a tiros. O caso aconteceu neste sábado (19) de março.

PUBLICIDADE

De acordo com o depoimento, ele cometeu o crime porque foi proibido de usar o celular para jogar e conversar com os amigos. As informações são do portal G1.

A mãe do menino tinha 47 anos e o irmão mais novo dele, 7 anos. O pai tem 57 anos e está gravemente ferido.

Além de ser proibido de usar o celular, o garoto estaria sendo pressionado para tirar notas boas nos exames escolares.

Leia também:

O menor foi apreendido pouco depois do crime. Ele foi levado para a Delegacia de Homicídios e Entorpecentes da Polícia Civil em Patos e prestou depoimento na presença de uma advogada e de uma parente.

O delegado Renato Leite, que está responsável pelo caso, afirmou que já é possível fazer uma reconstituição dos fatos.

PUBLICIDADE

O Crime

O pai do menino é um policial militar reformado. No sábado, ele foi à farmácia comprar um remédio para a esposa. Porém, pouco antes de sair de casa, tirou o celular do filho.

Quando voltou, o homem encontrou a esposa morta, baleada quando estava deitada. E o filho estava com a arma na mão.

O policial reformado pediu que o garoto soltasse o revólver, mas acabou sendo alvejado no tórax.

O irmão pequeno correu para abraçar o pai e levou um tiro nas costas.

O autor dos disparos chamou o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Inicialmente, ele negou ter praticado o crime.

A polícia achava que o menino tinha sobrevivido a uma chacina. No entanto, ele acabou sendo apontando como suspeito após as investigações.

O menino está na carceragem da Polícia Civil de Patos e aguarda audiência de apresentação. Depois da apreciação judicial, ele deve ser ser enviado para o Centro Especializado de Reabilitação de Sousa.

PUBLICIDADE

COMENTÁRIOS

DISCUS: 0