Para alegria de muitos da categoria, agora Gari é considerado uma profissão

HomeNOTÍCIAS

Para alegria de muitos da categoria, agora Gari é considerado uma profissão

O texto também definiu o piso salarial para esta categoria e o tempo de trabalho, que não poderá passar de 36 horas por semana. Para alegria de m

Mulher que teve relações com sem-teto processa Sikêra
O que fazer quando não for aprovado no empréstimo Caixa Tem
Onde aplicar o valor do 13º salário
ANÚNCIO

O texto também definiu o piso salarial para esta categoria e o tempo de trabalho, que não poderá passar de 36 horas por semana.

ANÚNCIO

Para alegria de muitos da categoria, agora Gari é considerado uma profissão. Os garis, uma ocupação que por décadas foi sinônimo de “subemprego”, vai passar a ser reconhecido como uma profissão a partir de agora. Após aprovação vinda do Senado, o projeto de lei, que regulamentou, estabeleceu algumas condições gerais de trabalho.

Com isso, foi definido cargos como agente de coleta de resíduos, de limpeza e de conservação de áreas públicas e também garante que as atividades deverão ser exercidas, de preferência, por trabalhadores que tenham concluído o ensino fundamental, pelo menos, desde que sejam aprovados em um curso de especialização em formação profissional.

Além do mais, o texto também definiu o piso salarial para esta categoria e o tempo de trabalho, que não poderá passar de 36 horas por semana.

Veja também

O projeto de autoria do senador Paulo Paim (PT-RS) determinou o piso salarial da categoria em R$ 1.850,00 mensais, o qual também deverá ser reajustado anualmente no mês de janeiro.

ANÚNCIO

A jornada de trabalho dos Garis não deverá passar de 6 horas por dia e a somatória de 36 horas semanas. Hoje, a carga horária se dá por volta de oito horas por dia e o salário médio no DF chega a R$ 1.249,15.

Conforme informações do senador Paim, o projeto também está prevendo o adicional de insalubridade de 10%, 20% ou 40% do salário. Vale ressaltar que o projeto vai transformar muito a qualidade de vida dos profissionais, garantindo para eles mais direitos.

Para Bruna da Silva Martins, gari de 37 anos que trabalha há 10 anos já na profissão, essa regulamentação deverá possibilitar a profissionalização até mesmo das outras áreas.

ANÚNCIO

“Acredito que nós vamos poder agora investir mais em educação também, aprender mais. Quem quiser voltar a estudar vai conseguir, vai poder se profissionalizar em outras áreas também e conseguirá realizar o sonho com mais facilidade”, afirmou Bruna.

ANÚNCIO

COMENTÁRIOS

DISCUS: 0