Papa Francisco condena violência contra mulheres

HomeNOTÍCIAS

Papa Francisco condena violência contra mulheres

‘Problema quase satânico’. O líder da Igreja Católica ouviu uma vítima de violência doméstica e falou firme contra os abusos contra as mulheres.

Advogado ararense Douglas Veronez morre carbonizado em grave acidente na rodovia dos bandeirantes em Cordeirópolis, SP
Patrões têm até dia 20 para pagar a 2ª parcela do 13º salário
Venda de combustíveis cresce no país
PUBLICIDADE

‘Problema quase satânico’. O líder da Igreja Católica ouviu uma vítima de violência doméstica e falou firme contra os abusos contra as mulheres.

PUBLICIDADE

Papa Francisco condena violência contra mulheres. O papa Francisco tratou de condenar qualquer violência contra as mulheres, neste domingo, 19, durante entrevista concedida a um programa de televisão italiano.

De acordo com o líder da Igreja Católica, a violência doméstica é um grave problema a ser tratado pela sociedade. “É muito grande o número de mulheres agredidas e violentadas em casa, também pelo marido.

Leia também:

É um problema que, para mim, é quase satânico, porque pressupõe se aproveitar da fragilidade de quem não pode se defender, que pode apenas conter os golpes. É humilhante”, disse.

PUBLICIDADE

Durante o programa “Francisco encontra os últimos”, transmitido pelo “Canal 5” italiano, o papa conversou com uma vítima de violência doméstica.

O pontífice ouviu o relato da mulher que perdeu a casa e o trabalho durante a pandemia, além de uma sem-teto e um detento, entre outros. A vítima, identificada como Giovanna contou para o papa que precisou fugir com os quatro filhos da violência do ex-marido.

O líder da Igreja Católica ainda lamentou o fato de a sociedade ignorar o que é “problema alheio”, que na verdade atinge diversos setores da população, que passam por dificuldades. “Estamos entrando em uma cultura da indiferença, em que buscamos nos afastar dos problemas, da fome, da dor, da falta de trabalho.

E, com a pandemia, esses problemas aumentaram”, afirmou Francisco.

PUBLICIDADE

COMENTÁRIOS

DISCUS: 0