Mutirão Nacional renegociará dívidas em atraso

HomeGERAL

Mutirão Nacional renegociará dívidas em atraso

De 1º a 30 de novembro, FEBRABAN, Banco Central do Brasil, Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) e Senado Federal promovem um mutirão Nacional d

Banco Central anuncia vazamento de 160 mil chaves do PIX
Mais de 500 mil pessoas já caíram no golpe de sites falsos na busca por dinheiro esquecido em bancos
Como saber se seus dados foram usados para abrir conta ou pedir empréstimo
PUBLICIDADE

De 1º a 30 de novembro, FEBRABAN, Banco Central do Brasil, Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) e Senado Federal promovem um mutirão Nacional de Negociação de Dívidas e Educação Financeira.

Mutirão Nacional renegociará dívidas em atraso. De 01 a 30 de novembro, pessoas físicas que tiverem dívidas em atraso com instituições financeiras poderão se beneficiar do Mutirão Nacional de Negociação de Dívidas e Orientação Financeira.

A iniciativa, promovida pela Federação Brasileira de Bancos (FEBRABAN) e bancos associados em parceria com o Banco Central do Brasil, Senado Federal e Secretária Nacional do Consumidor (Senacon), permitirá que o devedor tenha a oportunidade de conhecer e quitar seus débitos em atraso.

Uma página específica mutirão FEBRABAN  foi desenvolvida para esta preparação prévia, com o objetivo de direcionar o consumidor por caminhos de orientação financeira até o envio de propostas de negociação na plataforma de mediação de conflitos consumidor, sistema criado pela Senacon e que conta com a adesão de mais de 160 instituições financeiras. Na página mutirao.febraban.org.br, entre outras ferramentas, o interessado encontrará link para o Registrato, sistema do Banco Central por meio do qual é possível acessar, entre outros, o Relatório de Empréstimos e Financiamentos (SCR), que contém a lista de dívidas em seu nome junto às instituições financeiras.

Leia também:

De acordo com explica o presidente da FEBRABAN, Isaac Sidney, é uma ação conjunta que não apenas contribui para o restabelecimento do equilíbrio financeiro das famílias, mas, principalmente, promove a educação financeira, que é fundamental para que o consumidor consiga evitar o endividamento de risco, tenha mais informações sobre produtos e serviços bancários e melhore sua saúde financeira. “Por meio do site da campanha é possível fazer desde o rastreio de dívidas em todo o sistema financeiro nacional; calcular o quanto do orçamento pessoal pode ser destinado ao pagamento mensal em uma negociação; consultar o seu índice de Saúde Financeira (ISF), até o envio final de propostas de acordo às instituições credoras na plataforma consumidor”, orienta.

“Temos uma dívida social enorme com os pobres. O nome é o que uma pessoa tem de mais importante. Apoiar estas pessoas é um ato de justiça. Sem elas a economia não avança”, ressalta a senadora Katia Abreu (PP-TO), que se empenhou pessoalmente para apoiar o mutirão em 2021 e garantir a participação do Senado Federal na iniciativa.

PUBLICIDADE

O foco em educação financeira é um dos diferenciais da iniciativa deste ano, que pretende auxiliar os devedores a se preparar para a negociação em si, com informações sobre como descobrir quais são suas dívidas, quando vale a pena participar do mutirão e quanto do orçamento poderá ser destinado ao pagamento dessas dívidas no momento da negociação.

De acordo com Maurício Moura, diretor de Relacionamento, Cidadania e Supervisão de Conduta do Banco Central, “demos ênfase na preparação da negociação para auxiliar o cidadão a conhecer suas dívidas e assim avaliar se sua participação no mutirão é apropriada e também a identificar qual o valor mensal máximo que ele pode pagar no acordo. Esperamos que a iniciativa gere acordos mais efetivos para o cidadão, reduzindo o risco de reincidência do problema.”

“O mutirão promove a educação para o consumo, o acesso ao crédito responsável e a reinserção do consumidor no mercado, por meio da renegociação das suas dívidas, eixos essenciais para promoção do desenvolvimento econômico. O trabalho integrado envolvendo a Febraban, Banco Central, o Senado Federal, e o Ministério da Justiça por meio da Secretaria Nacional do Consumidor é um exemplo internacional de boas práticas, promove a maior plataforma de autocomposição de conflitos de consumo do mundo (consumidor.gov.br) e mostra nosso compromisso com a sociedade e com as recomendações internacionais que o Brasil aderiu”, diz a secretária Nacional do Consumidor, Juliana Domingues.

Após acessar a página mutirao.febraban.org.br – etapa opcional –, para iniciar de fato a negociação de uma dívida em atraso, o primeiro passo é realizar o registro na plataforma consumidor.gov.br por meio de login e senha, preenchendo um cadastro com dados pessoais, e-mail, telefone. Após finalizar o registro, é preciso selecionar a instituição com a qual deseja negociar e relatar o pedido de negociação. O banco tem o prazo de 10 dias para analisar a solicitação e apresentar uma proposta.

Poderão fazer parte da negociação no mutirão dívidas que não possuem bens dados em garantia; que estejam em atraso e em nome de uma pessoa natural; e tenham sido contraídas de bancos ou financeiras.

O Mutirão de Negociação e Orientação Financeira é uma das iniciativas do acordo de cooperação técnica assinado entre a FEBRABAN e o Banco Central (BC) para desenvolver ações coordenadas de educação financeira.

PUBLICIDADE

COMENTÁRIOS

DISCUS: 0