Motoristas de app e taxistas sentem queda da gasolina

HomeNOTÍCIAS

Motoristas de app e taxistas sentem queda da gasolina

Segundo levantamento do Procon-SP, o litro do combustível teve redução média de R$ 0,30 no estado. Os motoristas de aplicativo e taxistas que trabalha

Redução do preço do etanol ainda não é sentida na bomba
Preço da gasolina nos postos chega a R$ 8,99 e o do diesel a R$ 8,63
Combustível deve se manter estável em 2022
ANÚNCIO

Segundo levantamento do Procon-SP, o litro do combustível teve redução média de R$ 0,30 no estado. Os motoristas de aplicativo e taxistas que trabalham em São Paulo já sentem no bolso a baixa no preço da gasolina.

ANÚNCIO

“Acredito que nós somos uma das categorias que mais percebe essas variações, porque o preço da gasolina influencia diretamente o nosso lucro”, afirmou Ana Paula Aparecida de Oliveira, 39 anos, que trabalha como motorista de aplicativo.

“Nesta semana, coloquei o mesmo valor de sempre de combustível e consegui rodar mais, porque o litro está mais barato”, disse.

Segundo levantamento do Procon-SP, o litro do combustível teve redução média de R$ 0,30 no estado. A queda do preço foi constatada nos dias 28 e 29 de junho, após o governador Rodrigo Garcia reduzir a alíquota de ICMS da gasolina de 25% para 18% no dia 27.

Para Eduardo Lima de Souza, presidente da Associação dos Motoristas de Aplicativo de São Paulo (Amasp), no entanto, apesar de a gasolina mais barata amenizar a situação dos motoristas, ela ainda não resolve o problema e o valor ainda é alto demais.

“Esse reajuste, uma diminuição de centavos, na realidade não resolve. Amenizou, momentaneamente. Mas nossa preocupação é que, enquanto o governo federal fez uma manobra gigantesca para essa redução, o dólar ainda está na atividade em conexão com o petróleo. Se o dólar aumentar, a gente volta a pagar o que estava pagando antes”, criticou.

LEIA TAMBÉM:

José Carlos de Souza, diretor do Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores nas Empresas de Táxi no Estado de São Paulo (Simtetaxi-SP), concorda que o preço do combustível ainda está alto.

“Devido a distância que os taxistas devem rodar por dia, o valor ainda está alto, muito alto. É importante destacarmos isso”,  afirmou.

Aplicativos

A motorista Ana Paula explicou que o valor do combustível afeta o trabalho dos motoristas de aplicativo em várias frentes. Para que o lucro não diminua tanto quando o combustível está mais caro, muitos recorrem a mais horas de trabalho ou dirigem em regiões e horários específicos para obter mais ganhos.

“O preço reflete não só nos meus ganhos, mas também na minha segurança e no modo como eu tenho que trabalhar”, destacou.

ANÚNCIO

“O aplicativo paga um preço dinâmico maior para corridas em regiões mais perigosas, por exemplo, porque os motoristas costumam recusar. Se a corrida tem um bom valor, muitas vezes me arrisco à noite ou nessas regiões, para compensar quando a gasolina está muito alta. Então o preço da gasolina realmente interfere”, relatou.

O preço dinâmico é uma forma que os aplicativos encontram de compensar quando a demanda por corridas está mais alta, aumentando o valor cobrado de passageiros.

“Espero que o governo consiga oferecer mais incentivos para nos fortalecer, porque nossa categoria é muito impactada, diretamente”, completou Ana Paula.

Táxi

Lenaildo de Souza Dias, taxista em São a Paulo há 20 anos, comemora a baixa da gasolina e destaca que toda economia é muito bem vinda para a categoria.

“Eu uso uma média de R$ 100 a R$ 150 por dia para abastecer. Com o preço mais baixo, podemos rodar a mesma quantidade de quilômetros gastando menos, o que ajuda muito na diária no final do dia. Ajuda todo mundo que trabalha com veículo”, afirmou.

Moacir Braun, 46 anos, também taxista, concordou com o colega.

“Nós já sentimos essa redução do preço do litro da gasolina. Já senti uma diferença que com certeza vai contribuir bastante para o fechamento do nosso orçamento, em função do abastecimento diário na nossa atividade”, declarou.

Luis Antonio da Silva, presidente da Federação dos Taxistas Autônomos do Estado de São Paulo (Fetacesp), apontou que a gasolina mais barata traz alívio ao setor, principalmente após dois anos lidando com as consequências da pandemia de Covid-19.

ANÚNCIO

“Passamos esses anos com muito apuro. Agora teve uma redução, sim, que ajuda demais. E também vai ajudar muito se o projeto de auxílio-gasolina a taxistas sair, vai ficar melhor ainda’, disse.

ANÚNCIO

COMENTÁRIOS

DISCUS: 0