HomeNOTÍCIAS

“iPhones serão proibidos nas minhas empresas”, diz Elon Musk

“iPhones serão proibidos nas minhas empresas”, diz Elon Musk

O bilionário Elon Musk reagiu hoje ao anúncio da Apple de que integrará recursos de inteligência artificial aos iPhones, Macs e iPads por meio de uma

Aprenda como não receber mensagens no WhatsApp sem precisar se desconectar da internet
Senhor de 99 anos pede divórcio por caso de esposa nos anos 1940
Pesquisa aponta que 70% das crianças passam pelo menos 3 horas diárias no celular

O bilionário Elon Musk reagiu hoje ao anúncio da Apple de que integrará recursos de inteligência artificial aos iPhones, Macs e iPads por meio de uma parceria com a OpenAI, criadora do ChatGPT. Com essa integração, a assistente pessoal Siri poderá acessar informações diretamente do robô da OpenAI para responder a perguntas.

Em postagens no X, Musk declarou que, se essa integração realmente ocorrer, ele banirá os dispositivos da Apple de suas empresas. “Se a Apple integrar OpenAI no nível do sistema operacional, os dispositivos Apple serão banidos em minhas empresas. Isso é uma violação de segurança inaceitável”, afirmou. Ele acrescentou que até mesmo “os visitantes terão que deixar seus dispositivos da Apple na porta, onde serão armazenados em uma gaiola de Faraday”, referindo-se à estrutura metálica que funciona como um escudo eletromagnético.

Quando um dispositivo é colocado dentro de uma gaiola de Faraday, ele fica isolado dos sinais eletromagnéticos externos, impedindo a comunicação ou transmissão de dados.

“É um absurdo evidente que a Apple não seja inteligente o suficiente para criar sua própria IA, mas, de alguma forma, seja capaz de garantir que a OpenAI protegerá sua segurança e privacidade! A Apple não tem a menor ideia do que realmente está acontecendo quando entrega seus dados à OpenAI. Eles estão vendendo seus dados.”

Musk, fundador da Tesla e dono do X (anteriormente Twitter), entrou na Justiça contra a OpenAI, da qual foi cofundador, e seu CEO, Sam Altman, alegando que eles violaram o acordo de fundação da startup de inteligência artificial ao priorizarem o lucro em detrimento do “benefício para a humanidade”. Ele se referia à parceria da OpenAI com a Microsoft, que, segundo ele, minou a missão original de criar tecnologias de código aberto que pudessem ser usadas por qualquer um, sem subordinação às prioridades de negócios.

COMENTÁRIOS

WORDPRESS: 0
    DISCUS: