HomeNOTÍCIAS

Câmeras de monitoramento poderão ser usadas para multar motoristas

Nova legislação estabelece que autuação poderá ser feita remotamente, mas apenas em vias que estejam devidamente sinalizadas sobre o monitoramento. O

Alexandre de Moraes deixa TSE nesta segunda
Papa Francisco faz grave advertência sobre legalização das drogas nos países
Alterações nas leis de trânsito podem multar motorista que possuem veículos irregulares

Nova legislação estabelece que autuação poderá ser feita remotamente, mas apenas em vias que estejam devidamente sinalizadas sobre o monitoramento.

O governo autorizou que câmeras de videomonitoramento sejam utilizadas para multar motoristas.

De acordo com a nova resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), em vigor desde o início de abril, é possível ser autuado de forma remota.

LEIA TAMBÉM:

Além dos tradicionais radares e das câmeras que já registravam transgressões, os órgãos terão um dispositivo mais para captar movimentos que descumpram as leis de circulação.

A autuação só poderá ser feita por um agente de trânsito, que deverá informar que a infração foi flagrada remotamente. Uma disputa na esfera judicial travava a legislação, sob o argumento de que haveria invasão de privacidade, uma espécie de reality show do trânsito.

Mas a Advocacia-Geral da União (AGU) ganhou a causa na Justiça, derrubando o entrave.

O advogado especialista em direito administrativo Rafael Arruda não vê irregularidade na lei. “Se a câmera de vídeomonitoramento captura a imagem do condutor do veículo, eventualmente, sem cinto de segurança ou falando ao telefone celular, isso com certeza, dará ensejo à aplicação da multa de trânsito”, diz o advogado.

Com a medida, será mais fácil para as autoridades captarem infrações, como a falta do cinto de segurança ou o uso do celular ao volante.

No entanto, este tipo de fiscalização só valerá em vias que estejam devidamente sinalizadas sobre o uso do videomonitoramento. “Para que haja a autuação de trânsito nestas circunstâncias, deverá haver nas vias públicas, placas que sinalizem que aquela região está sujeita a videomonitoramento”, continuou Arruda.

Os equipamentos deverão ser homologados pelos órgãos de trânsito. A nova lei vale para todas as esferas governamentais.

COMENTÁRIOS

WORDPRESS: 0
    DISCUS: 0